Londrinando, mostrando o que Londrina tem de melhor!

PORQUE EU ME IMPORTO

03.09.2016 / POR Londrinando

PORQUE EU ME IMPORTO

Setembro é considerado o Mês Mundial da Doença de Alzheimer. De acordo com o site: doencadealzheimer, o Alzheimer, trata-se de um disturbio progressivo do sistema nervoso central, com causa ainda desconhecida, e caracterizada pela demência do paciente. A demência é uma sindrome que se manifesta pela perda das funções cognitivas como memória e linguagem, resultando em piora progressiva das atividades diárias, além de uma variedade de sintomas neuropsiquiátricos e alterações comportamentais.

Estima-se que a prevalência da doença de Alzheimer oscile em torno de 4% a 5% após os 65 anos de idade e que a sua incidência se aproxime de 50% proximo aos 90 anos (Evans et al., 1989; Hebert et al.,1995). Nessa situação, o paciente perde as funções mentais superiores (cognição), apresentando alterações progressivas no humor e no comportamento, sendo que no estágio mais grave da doença, o nível de dependência se torna muito importante, com a necessidade de que pessoas ao redor passem a cuidar deste paciente de forma muito mais intensa.

Com o intuíto de sensibilizar a sociedade sobre a importância da prevenção, do cuidado e do diagnóstico precoce da Doença de Alzheimer o projeto londrinense sem fins lucrativos, Porque Eu Me Importo promove por todo o mês de setembro, ações que visam divulgar dados sobre a doença e a desafiar os estigmas que a cercam. De acordo com Elaine Mateus, uma das responsáveis pelo projeto "Para cuidar, é preciso conhecer, informar-se e envolver-se". 

A programação que teve inicio dia 1º de setembro, irá até dia 29 e contará com palestras, oficinas para os idosos no Circuito da Memória e o VI Simpósio: Assistência integral e de qualidade a idosos, da Universidade Estadual de Londrina. Exceto o Simpósio, onde as incrições são realizadas através do SITE, todas as outras atividades da campanha são gratuitas e dispensam inscrições. Abaixo a programação completa:

Fonte: Porque Eu Me Importo - Programação

 

SOBRE O PROJETO

Ao perguntarmos à Elaine Mateus de onde surgiu a iniciativa, a mesma respondeu que: "A iniciativa surgiu da necessidade que eu sentia, como filha de uma DA (Doença de Alzheimer), em saber mais sobre a doença, em buscar apoio e em encontrar espaços nos quais ela pudesse receber estímulos físicos, cognitivos e sociais. Encontrei algumas listas e grupos virtuais nos quais pessoas como eu expressavam as mesmas carências. Entendo que quanto mais se sabe sobre algo, melhor podemos lidar com as situações. Foi assim que, depois de pouco mais de 2 anos do diagnóstico da minha mãe, entrei em contato com entidades que responderam imediatamente de modo favorável a fazermos a campanha".

Elaine nos conta que em 2015, o tema proposto foi “Não Me Esqueça”. Onde havia um duplo apelo, o primeiro dos doentes que, por desconhecimento, são estigmatizados e postos à margem do convívio e o segundo, dos familiares que sabem que um dia não serão mais lembrados por quem sofre da doença. 

Para os mais interessados, o projeto conta com o site www.porqueeumeimporto.com.br e uma página no facebook.

Vale lembrar que atualmente estima-se haver cerca de 35,5 milhões de pessoas com demência no mundo. Este número praticamente irá dobrar a cada 20 anos, chegando a 65,7 milhões em 2030 e a 115,4 milhões em 2050 segundo dados fornecidos pelo Relatório de 2012 da Organização Mundial da Saúde (OMS) realizado juntamente com a associação Internacional de Doença de Alzheimer (ADI).

Embora até o momento não haja cura para a Doença de Alzheimer (DA), muitos estudos sugerem que tratar a doença bem cedo, logo que percebam os primeiros sinais, pode atrasar a evolução da mesma. Por isso é extremamente importante que falemos sobre a doença para ajudarmos em sua conscientização. De acordo com uma pesquisa feita nos Estados Unidos e publicada no jornal médico da Academia Americana de Neurologia, a Doença de Alzheimer mata tanto quanto o cancêr e problemas cardíacos. 

Hoje ainda há muito estigma em relação à doença e isso não ajuda. Devemos acabar com esse tabu, pois é muito importante esclarecer o diagnóstico. É preciso ficar claro que existem tratamentos disponíveis e suporte necessário para quem tem a doença. Afinal, quem já teve um avô, uma avó, um parente próximo sabe a dor que é não ser lembrado por alguém que você tanto ama. 

Quem tiver mais curiosidades sobre o Alzheimer, acessem o site http://www.institutoalzheimerbrasil.org.br/

Todos juntos contra o Alzheimer. 

 

Você também pode gostar

FEIRA DE ADOÇÃO

FEIRA DE ADOÇÃO

10.09.2016 / POR Londrinando

Bazar Social no Maximo Vila

Bazar Social no Maximo Vila

02.11.2016 / POR Londrinando