Londrinando, mostrando o que Londrina tem de melhor!

Pitágoras Estética

Quintas Ciganas: Londrina Hot Club anima o happy hour no Mercadão da Prochet

20.12.2018 / POR Londrinando

Quintas Ciganas: Londrina Hot Club anima o happy hour no Mercadão da Prochet

Por onde o Londrina Hot Club passa, as apresentações encantam o público. E agora essa caravana ganhou um palco fixo na cidade. É o evento “Quintas Ciganas”, promovido pelo Empório Amadeus, no Mercadão da Prochet.

O nome do estilo já prende a atenção antes mesmo da primeira nota: Jazz Cigano. Separadas, as duas palavras já simbolizam muita coisa, mas juntas dão significado a uma musicalidade única, com elementos populares, tradicionais e requintados.

Já tradicional na Europa, o jazz manouche, como também é conhecido, vem ganhando bastante espaço pelo Brasil nos últimos anos. No norte paranaense tem o Londrina Hot Club como representante, que vem embalando as noites londrinenses desde 2015.

Como é realizado na praça de alimentação do Mercadão, não é preciso pagar ingresso. O show semanal é sempre realizado das 19h às 22h. E para tornar o happy hour ainda mais interessante, o Empório Amadeus faz promoção de chope pilsen, das 19h às 20h30. A cada chope pilsen (R$ 10) que o cliente comprar, ganha outro.

No repertório, além de canções tradicionais do gypsy jazz, a banda traz interpretações de clássicos do jazz, samba, bossa nova e outros estilos musicais, mas com a roupagem do manouche.

Claro que para fazer isso o Londrina Hot Club é formado por músicos exímios: Mariana Franco Estigarribia no contrabaixo acústico, Christian Laredo (violão solo), Martins Fernandes (violão base), Zé do Sax (saxofone), Daniel Loureiro (guitarra) e João Yamamoto (voz e improvisos vocais).

Esta é a formação fixa do sexteto, que às vezes se apresenta completa ou com menos integrantes. Em outros momentos o grupo recebe participações de outros músicos parceiros, como o baixista Vinicius Lisboa, o baterista Ivanovich Pedro ou o acordeonista João Sales.

Uma versatilidade que faz com que as apresentações do Londrina Hot Club sejam singulares e nada repetitivas. Soma-se a isso ainda o fato do grupo fazer questão de dizer que os músicos londrinenses são bem vindos às Quintas Ciganas para “dar canja” e participar de jams sessions.

Sobre o Londrina Hot Club

A trajetória do Londrina Hot Club se mistura com a formação musical do violonista Christian Laredo. Em 2008 se encantou com o gypsy jazz ao ouvir a banda Poucas e Boas, do músico Mauro Albert.

Laredo estudou a fundo a técnica do manouche e passou alguns anos se apresentando com a Poucas e Boas. Mas com a partida de Albert para Florianópolis o grupo se desfez e o jovem violonista criou o Londrina Hot Club. “Eu comecei a ser músico por causa do jazz cigano e quanto o Mauro foi embora senti que Londrina ficou carente de um grupo de manouche, daí surgiu o Londrina Hot Club”, destaca Christian Laredo.

Sobre o jazz cigano

O Gypsy Jazz é um estilo musical de origem francesa, por isso também o nome Manouche. A gênese do jazz cigano data da década de 1930, das mãos do guitarrista Django Reindhart.

Django participava da cena musical nos clubes de jazz de Paris e foi o primeiro a fazer uma espécie de caminho reverso do som criado em New Orleans, ao influenciar músicos norte-americanos do jazz.

Além da mistura de elementos da tradição e cultura cigana ao swing da música da época, uma lesão na mão esquerda do guitarrista fez toda a diferença na criação do jazz manouche. Após um incêndio, Reindhart perdeu a sensibilidade dos dedos anelar e mínimo, o que limitava o pressionamento das cordas e eu origem à pegada tradicional desse estilo musical.

Serviço: 

Quintas Ciganas

Quando: 13/12 (quinta-feira)

Onde: Mercadão da Prochet - Empório Amadeus

Quanto: gratuito (promoção de chope double pilsen)

Mais informações: https://www.facebook.com/events/1967078893600949/?event_time_id=1967078900267615