Londrinando, mostrando o que Londrina tem de melhor!

Múltiplo Leminski: uma fonte infinita de provocações em Londrina

14.03.2019 19:06 / POR Mariana Paschoal

Múltiplo Leminski: uma fonte infinita de provocações em Londrina

“Paulo Leminski (1944-1989) era quase como um precursor da internet sem nunca ter sentado em um computador”. Essa foi a descrição dada por uma das curadoras da Mostra Múltiplo Leminski e filha do escritor, Estrela Leminski. Na internet a gente encontra de tudo e é essa pluralidade que a exposição, aberta oficialmente hoje em Londrina, deseja mostrar ao público.

Ao lado de Estrela, também são responsáveis pela curadoria da Mostra a escritora Alice Ruiz e a jornalista Aurea Leminski. Manuscritos, objetos e textos inéditos do acervo pessoal compõem a coleção de mais de mil itens que estarão expostos entre 15 de março e 30 de junho no Museu Histórico de Londrina com o objetivo de mostrar as (mais de) mil facetas do artista curitibano. Só para citar algumas: escritor, poeta, músico, compositor, romancista, tradutor, ensaísta, judoca, publicitário e provocador.

“Ele era uma profusão de coisas em uma época em que as pessoas eram fechadas em movimentos - ou você gostava de Caetano, ou de Chico”, conta Estrela, que lembra que, para o poeta, nenhum repertório tinha que ser desperdiçado. “Ele não se apegava a só um estilo nem para se vestir, nem para se posicionar, e eu acho que é essa a razão de ele ter uma obra tão atual”, continua Estrela. A escritora observa que esse legado também se reflete no público, que vai de crianças a acadêmicos que podem passar anos estudando obras como Catatau (1975). “Adolescentes, inclusive, começam a gostar de poesia por causa do trabalho do Leminski”, confirma.

Como começou a Mostra Múltiplo Leminski

A necessidade de mostrar as diversas facetas de Leminski aos admiradores da obra do escritor veio da percepção de Alice Ruiz (que foi casada com Leminski) de que a visibilidade dele, principalmente na internet, estava crescendo somente como poeta. A ideia passou por um processo de maturação até uma ocupação no Itaú Cultural em São Paulo, no ano de 2009, em homenagem aos 20 anos da morte do escritor, em que Alice foi assessora da curadoria. “Nessa ocupação, percebemos a paixão e o envolvimento que as pessoas tinham com a obra dele. Então a Alice, que viveu com ele por 20 anos, teve o cuidado de fazer uma exposição completa, com todos os elementos que faltavam ser divulgados em relação à obra dele”, esclarece Estrela.

Para Estrela, a Mostra Múltiplo Leminski é pioneira devido à completude do acervo. “A gente costuma ficar fã de alguém por algo que chega e nos arrebata, mas com a internet a gente conhece muita coisa superficialmente e não consegue mergulhar em um artista e no processo criativo dele. Queríamos mudar isso”, explica, ao contar como surgiu a Mostra.

A primeira edição foi realizada em 2013, no Museu Oscar Niemeyer, em Curitiba - cidade onde nasceu e morreu o escritor. Desde então, a Mostra já passou por Curitiba (PR), Foz do Iguaçu (PR), Goiânia (GO), Recife (PE), Salvador (BA), São Paulo (SP), Fortaleza (CE), Rio de Janeiro (RJ) e Maringá (PR). A edição de 2019 tem um gostinho especial: além de ser em Londrina, é a décima, e marca os 75 anos de nascimento e os 30 anos da morte de Leminski.

Nesses anos de história, a Mostra gerou alguns frutos: a públicação do livro Toda Poesia (2013), que reúne, como o próprio título explica, toda a obra poética do escritor; e o álbum Leminskanções (2014), que conta com os poemas musicados por Estrela Leminski e Téo Ruiz.

O que o público pode esperar

“O coordenador da Mostra me contou que demorou quatro anos para ler toda a exposição. Quando ele chegou para montar essa edição, achando que ele já tinha lido tudo, ele viu que abrimos os cadernos em outras páginas e percebeu que precisava se inteirar”, conta Estrela.

Essa é uma das características da Mostra: as curadoras têm o cuidado de mostrar sempre os mesmos cadernos, por exemplo, mas, a cada edição, mudar as páginas a serem expostas. “Queremos mostrar que o pensamento dele era precoce já nos anos 70 e 80, mostrar os processos de criação, alguns originais que as pessoas conhecem, mas com palavras diferentes....”, exemplifica a escritora que enfatiza que esses elementos estão sempre presentes, mas sempre de maneiras diferentes.

Leminski em Londrina

A 10ª edição da Mostra Múltiplo Leminski é realizada em uma cidade que tem uma conexão com o escritor. Paulo Leminski esteve aqui algumas vezes, já conversou com alunos da Universidade Estadual de Londrina, já visitou amigos e, inclusive, teve os últimos textos publicados em vida em um jornal da cidade. O carinho por Londrina também era mantido por outros motivos. Estrela conta que uma das coisas que Leminski apreciava nas décadas de 70 e 80 era o movimento punk, algo que, à época, tinha mais visibilidade em São Paulo. A capital paulista também era uma cidade que dava vazão a artistas londrinenses como Arrigo Barnabé e Itamar Assumpção, amigos pessoais do escritor. “Curitiba não tinha um movimento punk claro, então meu pai gostava dessa conexão. De alguma forma, Londrina ainda era Paraná - como Curitiba - mas ao mesmo tempo tinha esse lado mais cosmopolita”, afirma Estrela.

Outra conexão que Leminski tinha com a cidade era através da literatura, algo que era presente em Londrina por já ser uma cidade universitária desde então. “Ele tinha uma relação com autores londrinenses como o Domingos Pellegrini e também influenciou jovens escritores como Ademir Assunção e Rodrigo Garcia Lopes”, conta Estrela.

Para esses escritores londrinenses e para outros paranaenses e (por que não?) brasileiros, Leminski não deixou um legado. Até porque, segundo Estrela, a palavra “legado” parece algo muito formal e pomposo. Ele fez com que todos eles fizessem parte de um comprometimento literário a ser seguido, ele criou uma nova forma de fazer que elevou a literatura paranaense para uma outra categoria. Ele mostrou que: “então dá para ser acadêmico cabeçudo e rock ‘n’ roll ao mesmo tempo, é isso mesmo? É isso mesmo”, finaliza Estrela.

Exposição Múltiplo Leminski Londrina

De 15/03 a 30/06/2019

De terça a sexta-feira, das 9h às 11h30 e das 14h30 às 17h30 
Sábados, das 9h às 11h30 e das 13h30 às 17h 
Domingos, das 13h30 às 17h

Local: Museu Histórico de Londrina - Rua Benjamin Constant, 900 - Centro

www.multiploleminiski.com.br 

Atividades Paralelas 

Visitas Guiadas

15/03/2019 às 10h30 com Estrela Ruiz Leminski

11/05/2019, às 15h, com Alice Ruiz

Local: Museu Histórico de Londrina - Rua Benjamin Constant, 900 - Centro 

Mostra audiovisual

Datas das sessões:

23/03 e 24/03

06/04 e 07/04

27/04 e 28/04

18/05 e 19/05

25/05 e 26/05

08/06 e 09/06

22/06 e 23/06

Sábados e domingos, às 16h

Local: Museu Histórico de Londrina - Rua Benjamin Constant, 900 - Centro

Palestra

Leminski: roteiro de uma vida e obra, com o escritor Rodrigo Garcia Lopes

24/04/2019, às 19h30

Local: Anfiteatro Maior do CCH (UEL) 

Show Leminskanções com participação especial de Carlos Careqa

11/05/2019, às 20h

Local: Teatro Ouro Verde (a confirmar)

Trovadores do Miocárdio - Performance e declamações de poesia

29/06/2019, às 21h

Local: Vila Cultural Cemitério de Automóveis - Av. Artur Thomas, 342 - Rodocentro