Londrinando, mostrando o que Londrina tem de melhor!

Clube Londrinando

Rota Gastronômica Paranaguá: happy hour com Growlers + Aloha no Estação Jardins

27.03.2019 10:53 / POR Layse Barnabé de Moraes

Rota Gastronômica Paranaguá: happy hour com Growlers + Aloha no Estação Jardins

Na primeira matéria da Rota Gastronômica Paranaguá, falamos sobre como a R. Paranaguá virou uma referência de lugares bacanas para comer e beber aqui em Londrina... Então, continuando a nossa saga gastronômica, hoje o escolhido foi o Estação Jardins, que fica entre a R. Piauí e a Pará.

Aberto há mais de seis meses, o Estação Jardins é um espaço colaborativo de duas empresas, o Growlers e o Aloha – aquele fica responsável pelos chopes artesanais e outros drinks, como gim e vinho verde, enquanto este comanda a cozinha, com lanches, porções e espetinhos. Eles trabalham com o sistema de autosserviço (você é quem faz o seu pedido no caixa) e a parceria tem dado tão certo que vão expandir, ampliando ainda mais o espaço.

O Growlers tem a maior quantidade de torneiras de chope artesanal de Londrina, com mais de 24 opções. Trabalhando com chope artesanal de vários lugares, além de produzir o próprio chope, lá é a pessoa mesmo que se serve nas torneiras depois de fazer um cartão pós-pago: experimentando a quantidade que quiser dos mais diversos tipos, depois é só acertar no caixa antes de ir embora e pronto.

Os chopes disponíveis variam, mas a lista do dia está sempre disponível nas redes sociais – então fica de olho!

Já em relação aos quitutes, o Aloha é criação da chef de cozinha Marcela Dorta, que começou primeiro com um food truck chamado Aloha, que vendia comida havaiana e hambúrguer. Ela então aceitou o convite de Rodrigo, o sócio atual, à frente do Growlers, para uma nova parceria, o Estação Jardins.

Apesar do nome Aloha, ao invés da comida havaiana, agora há as porções, para que acompanhem melhor os chopes. O nome havaiano tem um significado claro: Aloha quer dizer bem-vindo e diz muito sobre o que o espaço quer que as pessoas sintam: acolhimento.

Todos os lanches são criação da Marcela e há até mesmo o hambúrguer Hawai, de R$ 10, que é delicioso e cabe em todos os bolsos. “O lanche que mais sai é o Mahalo (R$ 25), por ser mais clássico, com cheddar, bacon e cebola caramelizada”, conta Marcela.


Hawai e gim tônica (R$ 7,50 a cada 100 ml de gim) para acompanhar


O delicioso Mahalo é o campeão de vendas do Aloha

Os fortes da casa são mesmo os hambúrgueres, incluindo entre as opções de pães o delicioso francês de fermentação natural, mas não é só disso que o espaço é feito: há também porções, como o bolinho de carne e o mignon suíno ao barbecue (R$ 28), que experimentamos e podemos afirmar: é delicioso e super bem servido! “Tanto o hambúrguer como as porções são grelhados em parrilla argentina, então ficam com aquele gostinho de churrasco, defumado. O barbecue a gente também faz aqui”, explica ela. Além do barbecue, o destaque vai também para o aioli, uma maionese surpreendente, com toque de alho e outras especiarias, também feita na casa. 


Mignon suíno ao barbecue

Aos vegetarianos e veganos, não se preocupem:  o Aloha atende super bem a esse público, com opções exclusivas ou adaptações dos lanches e dos molhos e até mesmo o pão deles é feito sem nenhuma origem animal, para ninguém passar vontade. Todos os lanches tem a opção de trocar o hambúrguer de carne pela opção vegana de fejão defumado - uma delícia! 


Honolulu com hambúrguer de feijão defumado, acompanhado de batata (R$ 25)

Como o local tem duas frentes, os quitutes e os chopes, os funcionários estão sempre a postos para encontrar a melhor opção para cada cliente, tanto no que diz respeito à harmonização dos lanches com os chopes quanto ao gosto pessoal de cada um!

Nossas escolhas de bebidas foram a Session Ipa, da Panamex (R$ 2,50 a cada 100 ml), uma cerveja mais refrescante, que tem um pouco do herbal, então é ótima para os dias quentes; American lager, da Coruja (R$ 3,40 a cada 100 ml), tem um pouco de adocicado, que combina muito bem com o Mahalo, por exemplo; e a pilsen, que é a mais simples e que agrada a todos os gostos - os preços dos chopes começam com o pilsen em R$ 0,99 a cada 100 ml e variam de acordo com cada tipo.

De quarta, sexta e sábado há música ao vivo e eles não cobram couvert – uma ótima deixa para aproveitar por lá o happy hour! As mesinhas na calçada, não tão comuns aqui em Londrina, criam um ambiente gostoso e diferente do que estamos acostumados. Além disso, há o espaço do mezanino, que comporta uma média de 20 pessoas e pode ser reservado gratuitamente para festas de aniversário e outras comemorações.

 

Vai lá:

Estação Jardins: R. Paranaguá, 955 - (43) 3367-3089

Horário de atendimento: terça, quarta e quinta, das 17h às 00h; sexta e sábado, das 17h às 02h; domingo, das 10h às 13h30 e das 17h às 00h. Fechado às segundas.

Instagram | Facebook | Ifood