Londrinando, mostrando o que Londrina tem de melhor!

Clube Londrinando

Dia do Orgasmo: mulheres são as que mais procuram dicas de como “chegar lá”

31.07.2019 16:20 / POR Mariana Paschoal

Dia do Orgasmo: mulheres são as que mais procuram dicas de como “chegar lá”

Se você procurar “Dia do Orgasmo” na internet (que é comemorado em 31 de julho), vai perceber que a maior parte do conteúdo é direcionado às mulheres. Para falar sobre o ápice do prazer sexual, conversamos com a sexóloga londrinense Solange de Lima Andrade e as mulheres também foram o tema central das dúvidas e explicações. Já parou para pensar qual é o motivo disso? 

É claro que perguntamos à profissional, que também é terapeuta sexual: “quando se trata do sexo e do prazer, as mulheres são mais bloqueadas e carregam mais crenças limitantes que os homens”, explica. Não é à toa que 90% das clientes da Solange são mulheres. “Quandos os meninos ficam com o pipizinho duro na infância, todo mundo acha lindo. A mãe pergunta se ele quer fazer xixi, ele vai lá e pega no órgão genital e faz xixi com naturalidade. Se a menina coloca a mão na vulva dela quando criança, ela é repreendida na hora e aí se cria um bloqueio que pode durar para o resto da vida”, continua a terapeuta.

Por causa desse tipo de atitude cultural, muitas meninas crescem e viram adultas sem nunca terem experimentado um orgasmo. “Algumas mulheres que me procuram dizem não gostar de sexo. Como gostar de sexo sem nunca ter sentido prazer com ele?”, questiona a sexóloga. Uma das clientes da Solange é uma mulher que está casada há 35 anos, tem quatro filhos, mas nunca sentiu nada com o marido. “Ela me procurou achando que a culpa era dela, mas isso não existe. A culpa é de toda uma sociedade que repreende o prazer. A autoculpa, inclusive, só dificulta o caminho até o orgasmo”.

Construindo o orgasmo

Para Solange, nós devemos construir o nosso orgasmo para poder aproveitar devidamente quando tivermos um (sozinhos ou com os respectivos parceiros). Para isso, a dica principal que a sexóloga dá é o autoconhecimento, tanto para homens, mas, principalmente, para as mulheres. Esse autoconhecimento envolve a masturbação e a exploração dos diversos pontos erógenos que temos espalhados pelo corpo com o nosso próprio toque.

“Nós temos tantos pontos erógenos que, se nos tocarmos, vamos encontrar um que vai nos trazer mais excitação do que qualquer outra coisa que já sentimos”, explica. “Aí na hora do sexo, cabe a você mostrar ao seu parceiro ou parceira onde estão esses pontos”, continua.

Outro caso bastante recorrente nos atendimentos da Solange é daquelas pessoas que têm um orgasmo, mas que não é um orgasmo forte e de qualidade. “Tanto em quem não consegue chegar lá quanto para quem tem um orgasmo meia boca, o que eu faço é trabalhar o psicológico. No caso das mulheres, principalmente, eu apresento o poder dos vibradores porque elas precisam ser estimuladas”, apresenta a sexóloga que também afirma que, das clientes que ela atende, 70% têm dificuldade em atingir o orgasmo principalmente porque não se conhecem.

“Eu tenho clientes que não conseguem olhar para a própria vulva. Para chegar a esse ponto é porque a autoestima dela está muito baixa. Como que uma pessoa que não gosta da própria vulva vai gostar de sexo?”, questiona Solange que explica que é ali que estão as nossas principais fontes de prazer: a vagina e o clitóris. Para melhorar essa situação, além de incentivar a masturbação, a terapeuta também propõe o exercício de se olhar no espelho e falar em voz alta o quanto é maravilhosa.

Apesar de o atendimento com uma sexóloga ser mais procurado por mulheres, o sexo continua sendo tabu nos dois gêneros. “Os homens também têm dificuldades para atingir o orgasmo perfeito, mas o bloqueio deles está no ato de falar. Eles têm mais preconceito e vergonha em admitir que têm algum tipo de problema”, conta Solange que insiste que não se deve ter vergonha de falar sobre algo que pode melhorar consideravelmente a qualidade de vida de todo mundo. E é aí que o trabalho da sexóloga entra. Se forem descartados problemas fisiológicos (hormonais ou outros problemas de saúde), a profissional trabalha com técnicas que auxiliam no tratamento de traumas emocionais até descobrir, exatamente, o que é a causa dessa vergonha, problema e repressão.

Homens x Mulheres: a relação com o orgasmo

Solange atribui a diferença em como os homens e as mulheres tratam do orgasmo à educação. “A gente precisa falar sobre sexo em casa e nas escolas. Se sexo fosse pecado, o que a gente está fazendo no mundo? Por que a vida nasce do sexo?”, reflete e sexóloga.

Para ela, não podemos culpar os pais de alguém por não falar sobre o assunto em casa porque os pais também são vítimas de uma sociedade repressora. “Não conseguimos falar sobre e não conseguimos atingir o orgasmo por causa de preconceitos que vêm lá de trás. Esse pensamento tem mudado com o trabalho que a gente faz e com o acesso à informação, mas ainda há muito caminho a ser percorrido”, acredita.

Segundo a sexóloga, precisamos falar abertamente sobre o prazer sexual e educar os nossos filhos sobre isso porque os nossos pais são bloqueados justamente por não terem tido esse tipo de educação e, por consequência, transferem esse bloqueio aos filhos. “Educação sexual é uma troca: tem que começar em casa e continuar na escola”, afirma a terapeuta sexual.

Só Pensa Naquilo

 

Aliado ao trabalho como sexóloga, Solange também comanda um sex shop que é de muita utilidade durante seus atendimentos terapêuticos: a Só Pensa Naquilo. Com o lema “viva a vida com prazer”, a loja foi criada em 2015 com o objetivo de facilitar o acesso discreto dos clientes a produtos de sex shop.

A Só Pensa Naquilo trabalha com linhas de cosméticos, fantasias e acessórios sexuais. Um dos recursos que ela sugere às clientes mulheres durante seus atendimentos, que são os vibradores, por lá, tem de montes e vão de R$ 29,90 a R$ 1500.

Os produtos podem ser adquiridos na loja online ou em domicílio, em visitas individuais da sexóloga na casa das clientes. Nessas visitas, Solange aproveita para criar uma relação amigável com seus clientes, tirando dúvidas e instruindo-os para momentos de prazer.

Para agendar um atendimento

Solange faz atendimentos individuais em casa e palestras sobre sexo em eventos. Para entrar em contato, é só ligar ou enviar uma mensagem para os seguintes canais:

Instagram: @sopensanaquilostore
Celular: (43) 99110-7005
Loja online: sopensanaquilo.com

“Não tenha vergonha. Tenha um caso de amor com você mesmo. Se namore em primeiro lugar. Antes de pensarmos em buscar um parceiro ou uma parceira, a gente tem que ser bem resolvido. Conheça cada ponto do seu corpo e o orgasmo é consequência” - Solange