Londrinando, mostrando o que Londrina tem de melhor!

Clube Londrinando

Saiba quais são os patrimônios naturais de Londrina e como visitá-los

22.10.2019 11:59 / POR Mariana Paschoal

Saiba quais são os patrimônios naturais de Londrina e como visitá-los

Você sabia que alguns lugares aqui de Londrina ainda preservam matas nativas, como a Mata Atlântica? Pois é! Devido à importância natural que eles têm, esses espaços foram declarados como patrimônios naturais e unidades de conservação pela Diretoria de Patrimônio Artístico e Hisórico-Cultural. Essa diretoria acompanha, monitora e apoia ações do patrimônio natural existente dentro do município como levantamentos e estudos.

O mais legal é que esses espaços estão pertinho da gente e abertos à visitação. Confira quais são eles:

Mata dos Godoy

 
 
 
Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Ary Parreira Junior (@aryparreirajunior) em

A Mata dos Godoy é um pedação de Mata Atlântica bem perto da cidade. Ela fica na Fazenda Santa Helena, no distrito de Espírito Santo e está só a 15 km do centro de Londrina. A Mata é um verdadeiro paraíso: são mais de 675 hectares de floresta subtropical onde vivem aproximadamente 200 espécies de árvores, 180 de aves silvestres, entre outros seres vivos da rica fauna brasileira.

Em todo o Paraná, a Mata dos Godoy é uma das mais importantes áreas de preservação ambiental, com uma das mais ricas reservas genéticas do sul do Brasil. Lá a gente encontra espécies raras de árvores como a Peróba, o Angico, o Cedro, a Figueira e o Pau-Marfim.

A Mata é um parque estadual e uma unidade de conservação integral por ser uma das últimas reservas naturais de mata nativa do norte do estado. O público pode conhecer 10% do espaço que conta com portais, trilhas interpretativas, opções de lazer contemplativo e programas de educação ambiental. Os outros 90% do parque são destinados à pesquisa ambiental. Vale lembrar que as visitas devem ser agendadas e autorizadas pelo Instituto Ambiental do Paraná (IAP). Se você quer visitar a Mata dos Godoy, é só ligar no (43) 3373-8700.

Endereço: Rodovia Mabio Gonçalves Palhano, Km 14, s/n

Parque Arthur Thomas

 
 
 
Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Bella Likes ToTravel (@bellalikestotravel) em

O Parque Arthur Thomas é outra unidade de preservação e patrimônio natural de Londrina. O espaço também representa um dos últimos pontos de Mata Atlântica do Norte do Paraná, assim como a Mata dos Godoy. Outro detalhe importante sobre o parque é que lá funcionou a primeira usina hidrelétrica da cidade (Usina Cambé), construída em 1939 e desativada quase três décadas depois.

O parque em si foi criado em 1975, mas aberto para visitação só em 1987. O interessante do espaço é que ele é um pedaço de mata nativa dentro do perímetro urbano de Londrina, a apenas 6 km do Centro.

Quando aberto ao público, na década de 80, a infraestrutura do Arthur Thomas contava com lago artificial, pedalinhos, estacionamento, acessos pavimentados, restauração da Usina Cambé, ponte, alojamento para a Polícia Florestal, lanchonete, zoológico, mirante, área para descanso, portal de entrada, viveiros de mudas e sanitários. Atualmente, algumas dessas estruturas ainda estão disponíveis, mas o mais bacana é viver o parque e refletir sobre a mata nativa ainda presente no meio da cidade. O espaço é aberto à visitação todos os dias, das 8h às 18h.

Endereço: R. da Natureza, 155

Parque Ecológico Dr. Daisaku Ikeda

 
 
 
Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Celso Mattos-Brazil???????? (@celsommattos) em

O Parque Ecológico Dr. Daisaku Ikeda compreende o espaço em que funcionava a Usina Três Bocas, segunda usina hidrelétrica da cidade, criada em 1943 e desativada em 1983.

A unidade de conservação também abriga matas nativas e lá foram identificadas 96 espécies diferentes de aves.. Algumas delas são as socós, garças, patos, galinhas d'água, maçaricos, martins-pescador, bem-te-vis, sabiás, papagaios, pica-paus, entre outras. Entre os mamíferos, 12 espécies foram encontradas, sendo os principais representantes as capivaras, cutias, ratos-do-mato, gambás-de-orelha-branca, tatus-galinha e cachorros-do-mato. Pesquisas ainda estimam a existência de 32 espécies de répteis como os cágados, as serpentes e os lagartos.

Além das atrações naturais o Daisaku Ikeda oferece quiosque, parque infantil e um mirante dentro de um espaço de 51 alqueires a 12 km do Centro da cidade. O parque fica aberto ao público de terça a domingo, das 8h às 17h.

Endereço: Rodovia João Alves da Rocha

Jardim Botânico de Londrina

 
 
 
Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Sandrinha (@sandrafernandessf) em

O Jardim Botânico de Londrina foi criado em 2006 e tem mais de um milhão de metros quadrados de mata nativa, nascentes e rios. Assim como as unidades anteriores, o Jardim Botânico tem grande importância para pesquisa e conservação de espécies nativas e exóticas do Paraná. O espaço também é voltado à proteção e cultivo de espécies silvestres raras, ameaçadas de extinção, ou importantes para a restauração e reabilitação de ecossistemas.

Segundo Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento (SEAB), o Jardim Botânico tem os seguintes objetivos:

  • Realizar intercâmbio científico e cultural com entidades nacionais e estrangeiras;
  • Desenvolver a pesquisa, a conservação, a preservação, a educação e o lazer ambiental;
  • Implantar e manter bancos de germoplasma de espécies exóticas e reserva genética de espécies nativas;
  • Realizar, de forma sistemática e organizada, registros e documentação de plantas;
  • Desenvolver ações e estratégias para promover a biodiversidade e o desenvolvimento sustentável.

O espaço fica aberto para visitação de terça a domingo, das 9h às 19h.

Endereço: Av. dos Expedicionários, 1999

Você já conhece alguma dessas unidades de conservação natural de Londrina? Se sim, qual deseja visitar novamente? Se não, qual te deixou com vontade de conhecer?

Foto de capa: @marcelo7.jardim