Londrinando, mostrando o que Londrina tem de melhor!

Bailarino de Ibiporã é convidado para fazer parte de companhia de ballet da Rússia

10.01.2020 15:52 / POR Mariana Paschoal

Bailarino de Ibiporã é convidado para fazer parte de companhia de ballet da Rússia

Formado na Escola Municipal de Ballet de Ibiporã (PR) e recém saído da Escola do Teatro Bolshoi no Brasil, de Joinville (SC), onde estava desde 2015, o bailarino ibiporaense Eduardo Ávila, 19 anos, agora se prepara para dançar nos palcos da Rússia, um dos países onde o ballet é muito apreciado.

O convite da Companhia de Ballet de Samara, na Rússia, veio no mês de dezembro e agora, dia 14 de janeiro, Eduardo viaja para ficar um período de 15 dias de adaptação, ensaios e conhecimento do repertório do grupo – que tem aproximadamente 80 bailarinos profissionais. Depois retorna ao Brasil para aprontar toda a documentação e seu visto de trabalho na Rússia. O contrato inicial que assinará com a companhia russa é de um ano.

“Passou um frio na barriga quando cheguei na Escola do Bolshoi, em Joinville, pois eu era iniciante, e agora vou passar por isso novamente, porém, mais preparado. Com a minha experiência no Bolshoi, me sinto preparado para esse desafio na Europa e espero que dê tudo certo”, afirmou o bailarino.

 

Alçando novos voos

Antes de descobrir seu potencial para o ballet, Eduardo iniciou as atividades da dança na Fundação Cultural de Ibiporã, no curso de teatro. Ao ingressar na dança clássica, não demorou para que as oportunidades começassem a aparecer. Em 2015, foi aprovado na seleção do Bolshoi em Joinville, onde terminou o Ensino Médio e se formou como bailarino em dezembro de 2019.

Como mensagem às crianças e adolescentes que estão iniciando na dança, ele diz o seguinte: “a profissão de bailarino não é fácil, você precisa abdicar de muita coisa para obter sucesso nesta carreira, mas acredito que quando você quer realmente fazer algo, é o seu sonho, tudo vem naturalmente. É uma profissão árdua, mas ao longo do tempo se torna leve. Todos aqueles que têm comprometimento com a dança e que veem como uma carreira, isso deixa a coisa leve e nunca devem desistir”.

Com informações de assessoria de imprensa