Londrinando, mostrando o que Londrina tem de melhor!

Coisas que aprendemos com Fleabag (sem spoilers!)

15.01.2020 12:03 / POR Mariana Paschoal

Coisas que aprendemos com Fleabag (sem spoilers!)

Fleabag é a série do momento! Ela foi criada por Phoebe Waller-Bridge, que também é a atriz principal da trama. Na série, ela interpreta Fleabag, uma mulher com uma mente conturbada e brilhante na casa dos 30 anos. Ela é inteligente, sexual, inquieta e vive um luto que está presente em tudo o que faz. Fleabag é um verdadeiro retrato da mulher moderna que vive em uma das cidades mais fervilhantes do mundo (Londres).

Aqui não tem nada de romance. Fleabag vive a vida real, com problemas reais. E esse retrato da vida tão verdadeiro ao qual a gente se identifica tanto, também nos ensina muita coisa. Portanto, fizemos aqui uma lista das lições que aprendemos na série. Confira:

Colocar pinhão na salada é coisa de adulto

Fleabag é uma personagem na casa dos 30 anos que está sempre se questionando se já é adulta e como viver essa fase. Bem... Uma das conclusões que ela tira é: se você come uma salada com pinhão, você é adulta, sim! 

Histórias de amor não são, necessariamente, como nos contos de fada

Uma história de amor pode ser muito sangue, muita lágrima, pode ser conturbada... Não é sempre que a gente vai se apaixonar e viver feliz para sempre. É sua responsabilidade escolher se vai permanecer naquilo ou não. 

Você não escolhe por quem se apaixona

Às vezes a gente se apaixona por quem está fora do nosso limite. Não tem como escolher quem vai conquistar o nosso coração. Nos resta lidar com isso da melhor maneira que podemos.

É preciso encarar de frente a nossa tristeza e não mascará-la com outras coisas

Fleabag tem uma tristeza no coração por vários motivos. E ela tenta mascarar esse fato com outras coisas (o sexo é uma delas). Mas o que a gente aprende enquanto vê a série é que não é possível superar a tristeza tentando escondê-la. É preciso encará-la de frente. 

Está tudo bem ficar vulnerável

Uma das lições mais importantes que tiramos ao assistir à Fleabag é que está tudo bem ficar vulnerável, principalmente se estamos passando por um momento difícil em nossa vida. Aliás, ficar vulnerável diante das dificuldades da vida é mais do que normal, é o que faz você estar preparado para viver e amar. Existem coisas na série que só acontecem porque a personagem principal se permitiu estar vulnerável e aberta às oportunidades.

Amar requer força

Amar alguém é um sinal de força e não de fraqueza. É isso que o discurso do Padre Gato diz na segunda temporada. É necessário muita coragem para abrir seu coração e se entregar para alguém.

Não se julgue por ser uma feminista "ruim"

No primeiro episódio da primeira temporada, Fleabag vai a uma palestra feminista com a irmã. Em determinado momento, a palestrante pergunta à plateia quem trocaria cinco anos da própria vida pelo corpo perfeito. Isso faz Fleabag e sua irmã Claire se questionarem sobre a capacidade que têm de serem feministas. No entanto, no mesmo episódio, outras situações acontecem que fazem com que ela entenda que é, sim, uma feminista e não são meros detalhes da vida que a impedem disso.

Família é importante

A família da Fleabag pode até ser meio maluca e disfuncional, mas no fim do dia, a personagem sempre recorre aos seus membros quando está em apuros e eles estão sempre prontos para ajudá-la.

Perdão é essencial

Uma situação específica com sua melhor amigaa faz com que Fleabag se culpe e MUITO, atrapalhando todos os aspectos de sua vida. O bloqueio que essa culpa causa no dia-a-dia da personagem principal nos mostra que é preciso perdoar os outros e nós mesmos para sermos verdadeiramente plenos.

Fleabag tem duas temporadas e está disponível na Amazon Prime Video. Quem aqui já viu? Quem ficou com vontade de ver? De qualquer maneira, a dica é: essa é uma das melhores séries tragicômicas da atualidade. Recomendamos!