Londrinando, mostrando o que Londrina tem de melhor!

HU pede doações de tecidos, aviamentos, sapatos e mão-de-obra

25.03.2020 10:03 / POR Mariana Paschoal

HU pede doações de tecidos, aviamentos, sapatos e mão-de-obra

A enfermeira Flávia Meneguetti Pieri, professora do departamento de enfermagem da Universidade Estadual de Londrina (UEL), da área de infectologia, iniciou na última sexta-feira (20) uma campanha em busca de costureiras voluntárias para confeccionar máscaras de tecido, para o Hospital Universitário de Londrina (HU/UEL).

Mesmo ciente que este tipo de máscara não protege contra o coronavírus, a ação tem por objetivo ajudar dentro dos ambientes hospitalares para os casos de pacientes e acompanhantes em estados gripais e/ou pneumonias por outros vírus. “Vale lembrar, que estamos entrando no período sazonal destes agravos. Com isso, a procura por atendimento vem aumentando em unidades hospitalares e também de pronto atendimento”, explica a enfermeira.

Flávia Pieri também esclarece que não está faltando material de proteção individual dentro do HU/UEL. “É uma medida preventiva em caso de um pico muito elevado do COVID-19 dentro do hospital”, pontua.

A ideia da campanha foi repassada por ela para alguns grupos pelo WhatsApp e deu tão certo que rapidamente as costureiras voluntárias abraçaram a causa e as doações se diversificaram. Segundo Flávia, a iniciativa foi muito bem recebida pela comunidade de Londrina: “Já temos cadastradas cerca de 100 costureiras voluntárias que farão a confecção dentro da própria casa ou em empresas”. Ela adiantou que até o final da semana a expectativa é entregar para o HU/UEL 2.500 máscaras, 600 aventais e 500 camisolas. “Mas nossa meta é maior ainda, com o que recebemos de ajuda em tecido conseguiremos confeccionar  mais dois mil uniformes de trabalho, dois mil pijamas (tamanho P, M e G) e mais 500 camisolas”, comemora. Ela explica que as doações vão beneficiar pacientes e servidores do hospital.

Da parte do Hospital Universitário houve a doação de rolos de tecidos que viabilizaram parte das confecções das máscaras teciduais, aventais e camisolas. A empresa Sercomtel também colaborou com a doação de mais tecidos.  A empresa FG Brindes, de Londrina, assumiu o corte e a distribuição para as costureiras voluntárias das 2.500 máscaras. Empresas como a Paranatex, de Apucarana e Malharia Costa Rica, de Londrina, também confirmaram a participação na campanha. A primeira doará 1.500 metros de tecido para confecção de uniformes privativos e o corte e costura serão realizados pela Costa Rica.

Vale destacar, que muitas microempresas têxteis e de embalagens estão entrando em contato com o HU para apoiar a campanha, disponibilizando o corte das peças e mão-de-obra profissional para as costuras.

Para cumprir a meta estimada, conforme Flávia, ainda falta a doação de aviamentos como linha e botões. 

Quem quiser fazer uma doação pode fazer contato pelo telefone (43) 3371-2671, na diretoria Administrativa do HU/UEL. 

Confira a lista do que pode ser doado:

- Tecido de brim na cor laranja (preferência) para confecção de avental;

- Tecido cretone percal azul claro (preferência) para uniforme privativo;

- Tecido cretone percal branco (preferência) para pijama;

- Tecido cretone percal branco (preferência) para camisola;

-TNT para as toucas;

- Linha 100% sintética;

- Botão para os pijamas (quatro mil botões);

- Arame para máscara descartável;

- Sapato de uso hospitalar;

- Corte das peças;

- Facção;

- Mão-de-obra de costureiras profissionais (com máquina overloque e interloque);

- Mão-de-obra de costureiras de casa.

Com informações de HU/UEL