Londrinando, mostrando o que Londrina tem de melhor!

Obras de escritoras mulheres para colocar na lista de leituras

18.03.2020 10:25 / POR Mariana Paschoal

Obras de escritoras mulheres para colocar na lista de leituras

Barzinhos e baladas estão fora de cogitação em tempos de pandemia. Que tal trocá-los por uma boa leitura? Aproveitamos que estamos no Mês da Mulher para indicar alguns livros escritos por mulheres para você conhecer e atualizar a sua lista de leituras. Vale lembrar que essas dicas não são válidas apenas em tempos de coronavírus. Sempre que quiser ler um bom livro, é só acessar e relembrar as nossas dicas:

Carolina de Jesus - Quarto de Despejo

O diário de uma catadora de papel brasileira virou livro em 1960: "Quarto de Despejo - Diário de uma Favelada" relata o cotidiano da autora Carolina Maria de Jesus. Com linguagem simples, a obra consegue comover o leitor pela riqueza de detalhes e pelo olhar sensível e realista da mulher negra e brasileira que morava na comunidade de Canindé, em São Paulo, e sustentava três filhos catando lixo.

Clarice Lispector - A Hora da Estrela

Reconhecida pelos críticos literários do Brasil e do mundo, Clarice Lispector é, talvez, a nossa escritora mais famosa e uma das maiores escritoras do século XX. A fama se deu principalmente pelas mudanças que ela empregou na narrativa moderna, com uma escrita diferente de tudo antes visto. "A Hora da Estrela" mostra bem seu estilo singular. O romance conta a história da datilógrafa alagoana Macabea, que se muda para o Rio de Janeiro. Essa trajetória na nova cidade é contada no livro por um escritor fictício chamado Rodrigo S. M.

Clarissa Pinkola Estés - Mulheres que Correm com os Lobos

"Mulheres que Correm com os Lobos" é um mergulho profundo no inconsciente feminino. Na obra, a autora Clarissa Pinkola Estés interpreta 19 lendas e histórias antigas buscando identificar o arquétipo da Mulher Selvagem, ou seja, a essência da alma feminina. Entre as lendas analisadas estão Patinho Feio, Barba Azul e La Llorona.

Chimamanda Ngozi Adichie - Americanah

A escritora negra e feminista Chimamanda Ngozi Adichie tem ganhado muito espaço nos últimos anos devido aos temas tratados em suas obras. Americanah é uma das obras mais conhecidas da autora e fala sobre uma história de amor que envolve questões de raça, gênero e identidade.

Elena Ferrante - Série Napolitana

A Série Napolitana da Elena Ferrante é composta por quatro livros: "A Amiga Genial", "História do Novo Nome", "História de Quem Vai e de Quem Fica", e "História da Menina Perdida". Os livros apresentam os relatos da personagem Lenu através de Nápoles. As histórias são praticamente um desabafo da narradora em sua trajetória de descoberta como mulher, desde criança até a idade avançada.

Jhumpa Lahiri - O Xará

Descendentes de indianos, a escritora Jhumpa Lahiri aborda muito o tema "imigração" em seus livros. Em "O Xará", conhecemos a história da família Ganguli, que passa pela Índia e pelos Estados Unidos por mais de 30 anos. O personagem principal, Gógol Ganguli, tem nome russo, sobrenome indiano e uma vida dividida entre diferentes modos de vida devido à migração. A autora é vencedora de um prêmio Pulitzer pelo seu primeiro livro de contos, "Intérprete de Males".

Maya Angelou - Eu Sei Por Que o Pássaro Canta na Gaiola

"Eu Sei Por Que o Pássaro Canta na Gaiola" é o primeiro volume de cinco livros autobiográficos da escritora Maya Angelou. O primeiro livro é o mais popular da série e aborda a infância da escritora até os seus 16 anos. Temas como família, autodescoberta e maternidade são recorrentes nas obras dela, assim como as dificuldades de ser negra nos Estados Unidos do século XX.

Patti Smith - Só Garotos

"Só Garotos" é um relato comovente sobre o amor e a amizade entre a compositora e escritora Patti Smith e o fotógrafo Robert Mapplethorpe. Não é preciso conhecer previamente a obra dos dois para se encantar com este livro, que apresenta as aventuras vividas por dois jovens idealistas em busca de reconhecimento.

Svetlana Aleksiévitch - A Guerra não tem Rosto de Mulher

Em "A Guerra Não Tem Rosto de Mulher", Svetlana Aleksiévitch conta histórias reais de guerras. mas, desta vez, não é sob o ponto de vista do homem militar. No livro, personagens reais femininas da Segunda Guerra Mundial falam sobre como foi lutar pelo Exército Vermelho.

Sylvia Plath - A Redoma de Vidro

Sylvia Plath foi uma poeta estadunidense com apenas um romance, o "A Redoma de Vidro". O livro fala sobre a trajetória da escritora Esther Greenwood, que sai dos subúrbios de Boston, passa por uma prestigiosa universidade e por um estágio em uma revista de Nova York. Mas o que daria tudo para ser uma vida glamurosa, leva a jovem à uma crise e à uma clínica psiquiátrica. O romance tem toques de autobiografia, já que a própria Sylvia passou por problemas de saúde mental, encerrando sua carreira com um suicídio.

Você já leu alguma dessas obras? Por qual se interessou mais? Quais são as outras autoras na sua lista de preferidos?