Londrinando, mostrando o que Londrina tem de melhor!

Mês da Saúde e Nutrição: psicóloga explica como a saúde mental afeta a física

19.03.2020 15:11 / POR Mariana Paschoal

Mês da Saúde e Nutrição: psicóloga explica como a saúde mental afeta a física

Ainda é assim: quando as pessoas pensam no conceito de saúde, imediatamente vêm à cabeça as doenças físicas, como problemas no coração, no estômago, entre outros… Mas a saúde mental acaba sendo muito mais física do que elas pensam. É isso que explica a psicóloga Luana Pereira Benevides, que trabalha com casos e transtornos de ansiedade. “As doenças mentais também são totalmente orgânicas. Elas causam alterações no corpo, alterações hormonais que podem ocasionar doenças físicas na pessoa”, explica a profissional.

Como estamos no mês da Saúde e da Nutrição, Luana deu o exemplo de pessoas que vivem com compulsão alimentar. “Esse problema, que é psicológico, pode causar problemas no estômago e tipos de paralisia, por exemplo”, conta, provando que problemas psicólogicos também podem afetar o corpo, ao contrário do que algumas pessoas pensam.

Compulsão alimentar

 
 
 
Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Psicóloga Luana Benevides (@psicologaluanabenevides) em

A compulsão alimentar, segundo a psicóloga, é tratada como um problema mental pelos profissionais. “A compulsão é um impulso. A pessoa não come só para matar a fome. Ela come para suprir uma necessidade psicológica”, esclarece. Segundo Luana, essa necessidade psicológica, na maioria das vezes, está relacionada a um problema de ansiedade. “A pessoa rompe a barreira da fome e come até passar mal. Algumas chegam a ir ao hospital por isso e acabam desenvolvendo outros problemas, como a anorexia e a bulimia após o ganho de peso pela compulsão”, continua. Não é raro encontrar pacientes que entram nesse ciclo: come em excesso para mascarar a ansiedade, se sente mal porque comeu em excesso, provoca o vômito, ou fica períodos muito longos sem comer...

“Normalmente as pessoas que vivem com a compulsão alimentar, a anorexia e a bulimia não procuram logo de cara um profissional da psicologia”, conta Luana que afirma que geralmente atende pacientes pelos problemas de ansiedade e crises de autoestima gerados pelo ganho de peso. “A gente acaba descobrindo depois, com o atendimento psicológico, a raiz desses problemas”.

As três principais causas de problemas do tipo, de acordo com a psicóloga, são: fatores genéticos, cultura e história individual da pessoa, como exigências da família e de relacionamentos para um corpo perfeito, por exemplo. Alguns problemas psicológicos relacionados à compulsão alimentar também têm origem na necessidade de se manter dentro de um padrão de beleza imposto pela mídia e redes sociais. “As pessoas ficam dependentes e obcecadas por manter um corpo ideal e não conseguem porque o corpo ideal é uma mentira. Então elas começam a se sentir mal com o próprio corpo e entram nesse ciclo mencionado anteriormente, sem buscar o real problema, que é o psicológico.

 
 
 
Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Psicóloga Luana Benevides (@psicologaluanabenevides) em

Levando em consideração os casos atendidos pela Luana, a maior parte dos pacientes que a procuram para tratar ansiedade e compulsão alimentar é de meninas dentro da faixa etária dos 12 aos 28 anos. “Esse grupo é mais ativo nas redes sociais e isso influencia muito no sentido da comparação com o outro. O adolescente também tem um movimento de grupo muito grande e acaba sendo mais influenciável”, argumenta.

Como identificar um comportamento patológico?

Para identificar se o que você ou alguém próximo está passando é um problema de compulsão que precisa ser tratado, é só observar se ela começa a ficar doente com frequência, ou se o comportamento começa a atrapalhar a vida e as atividades corriqueiras. “O tratamento psicológico é para todos, mas com esses sinais, ele é imprescindível”, afirma Luana.

Outros problemas psicológicos relacionados à saúde e à nutrição

Luana afirma que existem vários transtornos psicológicos relacionados à nutrição. Os mais comuns são o transtorno de imagem, que é quando a pessoa se vê de maneira diferente do que ela realmente é; a vigorexia, que é quando os homens, principalmente, sentem a necessidade de ser muito musculoso, excedendo os limites da saúde; e o transtorno de visão, que afeta partes específicas do corpo, quando a pessoa acha que ela tem defeitos que não existem.

Na perspectiva psicológica, qual é a mensagem para quem quer ser saudável?


Para Luana, as pessoas devem buscar viver da maneira que faz sentido para elas, independente do que os outros vão dizer, ou do que os outros querem que você siga. “A gente deve encontrar um propósito para seguir e, se para isso, é preciso acompanhamento profissional, como psicólogo e nutricionista, procure um que se encaixe às suas necessidades”, expõe. “Tente não ter tão influenciável, conhecer mais sobre seu próprio mundo, se mantenha informado sobre você mesmo para não cair em armadilhas da própria cabeça”, continua. Para isso, a psicologia é essencial, não só no nível individual, mas como sociedade.

Se você quer conhecer o trabalho da Luana e agendar uma consulta com a psicóloga, entre em contato pelo Instagram, Facebook, ou pelo telefone (43) 98807-3499.