Londrinando, mostrando o que Londrina tem de melhor!

O grupo de Londrina Seven Hachi abre studio próprio e te convida para sentir a energia da dança

07.02.2019 17:22 / POR Londrinando

O grupo de Londrina Seven Hachi abre studio próprio e te convida para sentir a energia da dança

 O estúdio de danças urbanas Seven Hachi ganhou recentemente seu espaço próprio! Além do local para os ensaios da companhia, que já se apresentou em vários festivais, inclusive fora do Brasil, o lugar também vai contar com aulas de dança para o público em geral.

Fundado em 2012, aqui em Londrina, pelo casal de professores Renata e Ricardo Araújo, o studio de dança é voltado para a dança urbana, mas também vai muito além disso: Segundo eles, “o grupo começou pequeno e aumentou cada vez mais. A gente tem um lema que é ‘mais que dança’, então a gente fala sobre a vida, sobre comportamento, sobre atitudes e a gente sente o quanto isso tem impactado a vida dos jovens. A ideia do studio é, além de poder ter o nosso próprio espaço, passar essa vibe para outras pessoas, não só para aqueles que querem competir, mas também para aqueles que querem algo mais casual com a dança, sentindo essa energia e essa positividade”. Atualmente, o grupo voltado para a competição conta com 50 pessoas, entre meninos e meninas, com idade entre 8 a 26 anos. A participação dele em três festivais de dança, por exemplo, acabou resultando em três primeiros lugares na categoria avançado e um segundo lugar na categoria infantil, incluindo uma conquista internacional na Argentina.

O nome Seven Hachi surgiu de forma espontânea: “Na sua origem o grupo tinha o nome ‘Essência’, que está relacionado aos nossos valores de amor, respeito e união.  Esses pilares sempre foram a base do grupo e ideia era que nós nunca poderíamos perder essa essência”, explicam eles.  Mas, durante um ensaio, na hora de contar o tempo, Ricardo resolveu misturar os números em diversas línguas, então ficou o seven, do inglês, e o hachi, do japonês: “A sonoridade daquilo chamou a atenção de todo mundo, e na mesma hora todos se olharam e falaram ‘Isso é bom!!’, ‘Ficou legal!’. Entendemos naquele momento que o impacto do nome tinha mais a ver com a energia que buscávamos transmitir no palco. A partir desse dia surgiu o grupo ‘Seven Hachi’, um novo nome, mas com a velha essência correndo em nossas veias”, contam eles.

Pelo Instagram, eles sempre tiram dúvidas e dividem com os seguidores um pouco do muito que sabem: “Dança urbana é uma categoria de dança em que vários estilos fazem parte. Esses estilos são: break, locking, popping, wacking, house, hip hop, dance hall, vogue, krumping e muitos outros! É uma variedade enorme de estilos, cada um tem seus fundamentos e história”, explicam eles. O forte do Seven Hachi é o Dance Hall, Jazz Funk e o Hip Hop, estilos que Renata e Ricardo se aprofundam por meio de muita pesquisa e estudo.
Além de danças urbanas, o studio também oferece aulas de danças urbanas kids, a mesma modalidade só que voltada para os pequeninos, e stiletto uma dança para quem quer se jogar sem descer do salto (literalmente).

A escola oferece aulas regulares, para quem quer se divertir aprendendo coreografias, aulas particulares para quem quer fazer um intensivão ou precisa daquela ajuda para se apresentar na festa de casamento ou outra comemoração, e o grupo de competição, que já envolve audição para poder participar e muito comprometimento e disciplina.

Àqueles que não tem jeito para dança e se sentem acuados de procurar uma escola para aprender e se divertir, Ricardo deixa um recado: “Quem tem vontade e acha que não tem jeito ou talento, saiba que não precisa. De repente a pessoa não tem jeito mesmo pra dança, mas a dança não deixa de ser legal e divertida por isso. A gente acredita que a dança tem esse potencial de mudar vidas e transformar um dia ruim e estressante em um dia maravilhoso. Se você acha que não leva jeito, independentemente de ser bom ou não, você vai sair melhor do que você entrou aqui”. Já para aqueles que acham que não levam jeito, mas têm vontade de trabalhar com isso, Ricardo e Renata tem um recado: “a dedicação supera qualquer talento”.