Londrinando, mostrando o que Londrina tem de melhor!

Pessoas de 5 a 59 anos já podem se vacinar contra o sarampo em Londrina

10.02.2020 10:47 / POR Mariana Paschoal

Pessoas de 5 a 59 anos já podem se vacinar contra o sarampo em Londrina

Começou nesta segunda-feira (10) a Campanha de Vacinação contra o Sarampo em Londrina. Voltada ao público na faixa etária de 5 a 59 anos, as doses da vacina estão disponíveis em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBSs), tanto da área urbana como rural. 

De acordo com a diretora de Vigilância em Saúde do Município, Sônia Fernandes, os jovens com idade de 20 a 29 anos devem receber a vacina em dose adicional, mesmo que sua carteira de vacinação esteja completa. A estimativa é que 91 mil pessoas estejam nesta faixa etária, em Londrina. “Essa dose extra se deve ao fato de que a maioria dos casos de sarampo registrados no Paraná são em pacientes desta faixa etária”, detalhou.

A população de 5 a 19 anos tem como orientação a aplicação de duas doses da vacina tríplice viral, que protege contra o sarampo, caxumba e rubéola. Caso o esquema já esteja completo, não será necessário aplicar nova dose. A mesma situação será aplicada às pessoas com 30 a 59 anos, cujo esquema vacinal prevê uma dose para a vida toda.

Dado

Após vinte anos sem registro da doença em Londrina, no segundo semestre do ano passado foram confirmados oito casos de sarampo, e atualmente um caso suspeito está sob investigação. No Paraná, a Secretaria Estadual de Saúde (SESA) divulgou mais 23 casos positivos, totalizando 831 casos de sarampo desde 2019, enquanto outros 1.653 permanecem em investigação.

Sintomas

O sarampo é uma infecção transmitida por vírus, transmitido através dos fluidos liberados pelo espirro, tosse, respiração ou fala. Como as micropartículas virais ficam suspensas no ar, a doença possui um alto nível de contágio.

Dentre os sintomas mais comuns, o paciente com sarampo apresenta febre alta, tosse, coriza e conjuntivite. Um indício muito característico da doença são manchas avermelhadas na pele, que geralmente aparecem primeiro no rosto e atrás da orelha e depois se espalham pelo corpo. Também podem ocorrer outros sintomas como dor de cabeça, indisposição e diarreia.

O paciente que tiver a doença é mantido em isolamento, para impedir o contágio das pessoas próximas, que também ficam em observação. No tratamento, é feito o controle dos sintomas para impedir as complicações que o sarampo pode causar, como meningite, pneumonia, entre outras doenças graves e que podem levar ao óbito.

Como contraindicação, a vacina tríplice viral não pode ser aplicada em gestantes ou pessoas com doenças imunodepressoras.

Com informações de assessoria de imprensa